segunda-feira, 4 de Agosto de 2008

Venda Directa, Marketing de Rede e Esquema em Pirâmide

Como a New Way se auto-intitula de empresa de Marketing de Rede (ou Marketing Multinível), resolvi escrever um artigo simples (embora um pouco extenso) a explicar os fundamentos dessa expressão e, pelo caminho, aproveitar para mostrar o perigo maior que se esconde por dertás de tais sistemas: o encobrimento propositado de um Esquema em Pirâmide e a lavagem pública de imagem com o intuito de esconder uma ilegalidade.

2 + 2 = 5

O que é a Venda Directa e o que é o Marketing Multinível?

nota: traduções para português colocadas abaixo, partes a bold evidenciadas por mim.


A FeDSA (Federation of European Direct Selling Associations), numa página dedicada ao assunto, diz o seguinte:

"Direct selling is the marketing of consumer goods and services directly to consumers on a person-to-person basis, generally in their home or the home of others, at their workplace and other places away from permanent retail locations. Direct selling typically occurs through explanation or demonstration by salespeople referred to as direct sellers.

Direct selling provides important benefits to individuals who desire an opportunity to earn an income and build a business of their own. Also to consumers who enjoy an alternative to busy shopping centres and expensive and stressed transportation.

Consumers benefit from direct selling because of the convenience and service it provides, including personal demonstration and explanation of the products, home delivery, and the added value of a right of return guarantee that often exceed the legal requirements. Moreover, direct selling provides a channel of distribution for companies with innovative or distinctive products not readily available in the retail stores or who cannot afford to compete with the huge advertising and promotional costs associated with gaining space in a retail store. Direct selling enhances the retail distribution infrastructure of the economy and serves consumers with convenient source of quality products.

Direct selling offers an alternative to traditional employment for those who desire a flexible income earning opportunity to supplement their household income. In many cases, direct selling opportunities develop into a fulfilling career for those who achieve success and choose to pursue their independent business on a full time basis. The cost for an individual to start an independent business is typically very low. Usually, a modest priced sales kit is all that is required to get started and there is little or no inventory holding or other cash commitments to impede progress. This stands in sharp contrast to other high up front cost opportunities which represent great risk to the potential independent business person.
Multi level marketing is a growing form of direct selling. Whilst this type of business can support various methods of selling the product, the term " multi level marketing" describes the method of remuneration to direct sellers as they market and distribute products and services to the consumer. These direct sellers may receive remuneration based on their own sales of goods and services to consumers, and from the sales to consumers generated by their network of other independent direct sellers who have been recruited and trained in the business.

Direct selling should not be confused with other terms such as " direct marketing" or "distance selling " which may be described as an interactive system of marketing that uses one or more advertising media to effect a measurable response and/or transaction at any location with the activity stored on a database. Although some direct selling companies may use some of these tactics occasionally, the primary difference in direct selling is the face- to-face presentation/demonstration that is always the main aspect of the direct selling relationship. "


"Venda Directa" é o marketing de produtos e serviços de consumo feito directamente ao consumidor numa base de pessoa-para-pessoa, geralmente em casa desse consumidor ou na casa de outros consumidores, no seu local de trabalho e noutros lugares afastados de locias de retalho permanentes.

A "Venda Directa" ocorre tipicamente através da explicação e demonstração feitas por vendedores/distribuidores referenciados como "vendedores directos".
A "Venda Directa" providencia importantes benefícios a indivíduos que desejam ter a oportunidade de ganhar uma receita e terem um negócio próprio. Providencia também benefícios a consumidores que prefiram alternativas a shopping centers apinhados e deslocações dispendiosas e stressantes.

O consumidores beneficiam da "Venda Directa" por causa da conveniência e dos serviços que disponibiliza, incluindo demonstrações pessoais e explicações acerca dos produtos, entrega ao domicílio, e o valor acrescentado da garantia do direito à devolução que normalmente excedem o exigido por lei. Mais, a "Venda Directa" providencia um canal de distribuição para companhias com produtos inovadores e diferenciados que não estejam à venda nos canais a retalho ou que não tenham possibilidades competir com os elevados custos de promoção associados com o "ganhar de espaço" numa loja a retalho. A "Venda Directa" melhora a infraestrutura de ditribuição a retalho da Economia e serve os consumidores com uma fonte conveniente de produtos de qualidade.

A "Venda Directa" oferece uma alternativa ao emprego tradicional para aqueles que desejam a flexibilidade de uma oportunidade de receita suplementar. Em muitos casos, as oportunidades gerada pela "Venda Directa" originam uma carreira enriquecedora àqueles que atingem o sucesso e escolhem fazer deste negócio independente a sua fonte principal de rendimento. O custo para um indivíduo começar um negócio independente deste género é normalmente muito baixo. Geralmente, um kit de vendedor barato é tudo quanto é necessário para começar um negócio e há pouca ou nenhuma necessidade de manter um stock ou outras forma de comprometimento económico que impeçam o progresso do negócio . Isto evidencia o acentuado contraste em relação a outras oportunidades que exigem um elevado investimento inicial e que representam um risco elevado para o potencial empreendedor individual.

O "Marketing Multinível" é um forma de "Venda Directa" que está a crescer. Enquanto este tipo de negócio (a "Venda Directa") suporta vários métodos de vender um produto, o termo "Marketing Multi-Nível" descreve o método de remuneração dos vendedores directos quando promovem e vendem produtos e serviços ao consumidor, e pelas vendas a consumidores gerados pela sua cadeia de outros vendedores directos independentes que tenham sido recrutados e treinados no negócio.

A "Venda Directa" não deve ser confundida com outros termos tais como "Marketing Directo" ou "Venda à distância", que pode ser descrito como um sistema interactivo de marketing que usa um ou mais meios de média para gerar um resposta avaliável e/ou uma transacção a partir de qualquer localização com a actividade aramazenada numa base de dados. Apesar de algumas companhias de "Venda Directa" usarem ocasionalmente estas técnicas, a diferença principal na "Venda Directa" reside na apresentação/demonstração passoa-para-pessoa como aspecto principal no relacionamento comercial."

---

Segundo a DSA (Direct Selling Association - americana):


"What is direct selling?
Direct selling is defined as the sale of a consumer product or service, person-to-person, away from a fixed retail location. "

O que é a "Venda Directa"? A "Venda Directa" é definida como a venda de um produto ou serviço de consumo, de pessoa-para-pessoa, longe dos locais fixos de venda a retalho.

Q. What is the difference between direct selling and multilevel marketing?
A. Direct selling refers to a distribution method, whereas multilevel marketing refers more specifically to a type of compensation plan found in direct selling. A direct selling company that offers a multilevel compensation plan pays its representatives/distributors based not only on one's own product sales, but on the product sales of one's "downline" (the people a representative/distributor has brought into the business, and, in turn, the people they have brought into the business).

"Qual é a diferença entre "Venda Directa" e "Marketing Multinível?" "Venda Directa" refere-se ao método de distribuição, enquanto Marketing Multinível se refere especificamente ao tipo de plano de compensações encontrado na "Venda Directa". Uma companhia que ofereça um plano de compensações Multinível paga aos seus representantes/ditribuidores baseando-se não só nas suas próprias vendas de produtos, mas também nas vendas de produtos do seu "downline" (as pessoas que esse representante/distribuidor traga para a companhia, e , por sua vez, as pessoas que essas pessoas tragam também para a companhia)"

---

A New Way, em resposta a uma das minhas cartas inquisidoras, respondeu a certa altura o seguinte: "Sendo o senhor (Pedro Menard, eu) um anti markenting de rede."

Em contra-resposta a esta acusação injusta, imprópria, e sem qualquer suporte lógico (suponho que a New Way tenha baseado esta afirmação no meu blog sobre a Agel), tenho a afirmar que não tenho absolutamente nada contra o Marketing Multinível, ou de Marketing de Rede, desde que ele seja promovido segundo os moldes acima descritos pela FEDSA e pela DSA. Até apoio sem restrições qualquer empresa que funcione segundo tais critérios e códigos de conduta. Contudo, tenho algo contra Esquemas em Pirâmide disfarçados de sistemas Multinível (uma vez que me tentaram recrutar para a Agel na base do "recrutas mais uns tantos, pagas a tua dívida, e ainda podes ficar rico daqui a uns meses sem teres de fazer mais nada").

---

O que é um "Esquema em Pirâmide"?

Um Esquema em Pirâmide assenta nas seguintes características:

1 - Há uma troca de dinheiro entre um promotor e um interessado - o interessado paga para pertencer a um "negócio" (seja por conta da compra de produtos, seja por conta da compra de serviços, seja por conta de nada em concreto, não faz diferença - o que interessa é a "oportunidade" de explorar uma rede/negócio).

2 - O interessado, agora membro participante no esquema, pode recuperar o dinheiro investido através do recrutamento de outras pessoas. Os novos membros pagam também ao promotor para entrarem no "negócio" e o interessado que os recrutou recebe dinheiro por conta desse recrutamento. Quantos mais membros ele trouxer para a rede, mais comissões recebe e, consequentemente, mais hipóteses tem de recuperar o investimento. A motivação principal para cada membro é conseguir subir acima da linha de prejuizo, e a partir desse momento qualquer nova entrada é lucro limpo.

3 - A rede expande-se sempre na base do "1 para n". Um membro pode recrutar n novos membros, cada um deles por sua vez pode recrutar outros n novos membros, e assim sucessivamente - até ao infinito (sendo que "infinito", nesta situação, significa o muito concreto finito da saturação de mercado). Esquematizando este processo no papel, ficamos com um desnho parecido com uma pirâmide, e daí possivelmente a origem da expressão. Algumas contas rápidas dão para entender que 66% a 99% dos inscritos, conforme a estrutura do esquema, nunca vão ganhar dinheiro nenhum. A maioria perde sempre dinheiro - é uma certeza matemática.

Em resumo simples: uma pirâmide é uma rede para a qual uma pessoa entra de livre vontade e se coloca numa situação inicial de prejuizo. Para recuperar o dinheiro investido, a única hipótese viável/atractiva é recrutar outras pessoas para a rede.

A Amway, a maior empresa de Vendas Directas do mundo (e também a mais criticada de todas), tem, no site em português, o seguinte quadro comparativo:

Venda Directa Esquema de Pirâmide
Oferecem produtos vendáveis. Não oferecem produtos comercialmente viáveis para venda.
Os lucros são obtidos da venda de produtos. Os lucros são calculados pelo número de novos participantes, independentemente se vendem produtos ou não.
Baixo investimento inicial. Frequentemente, requer um grande investimento inicial e obriga os participantes a ter um grande stock de produtos.
Oportunidade de negócio a longo prazo. Frequentemente, desaparecem após alguns meses.
Protecção dos direitos dos consumidores, tal como o direito ao cancelamento do contrato ou de uma encomenda. Nenhuma satisfação de garantia ou direito de cancelamento de contrato.


A legislação Portuguesa contempla este tipo de ilegalidade em dois Decretos-Lei distintos:

Decreto-Lei n.º 143/2001. de 26 de Abril


(...)

Artigo 27.º
Vendas «em cadeia», «em pirâmide» ou de «bola de neve»

1 - É proibido organizar vendas pelo procedimento denominado «em cadeia», «em pirâmide» ou de «bola de neve», bem como participar na sua promoção.

2 - Para efeitos do disposto no número anterior, considera-se venda «em cadeia», «em pirâmide» ou de «bola de neve» o procedimento que consiste em oferecer ao consumidor determinados bens ou serviços fazendo depender o valor de uma prometida redução do seu preço ou a sua gratuitidade do número de clientes ou do volume de vendas que, por sua vez, aquele consiga obter, directa ou indirectamente, para o fornecedor, vendedor, organizador ou terceiro.

Decreto-Lei n.º 57/2008 de 26 de Março


(...)

Artigo 8.º
Acções consideradas enganosas em qualquer circunstância

São consideradas enganosas, em qualquer circunstância, as seguintes práticas comerciais:

(...)

r) Criar, explorar ou promover um sistema de promoção em pirâmide em que o consumidor dá a sua própria contribuição em troca da possibilidade de receber uma contrapartida que decorra essencialmente da entrada de outros consumidores no sistema;

(...)

---

O que faz a New Way para promover/expandir a sua rede de associados

(clicar para aumentar)





nota: antes de receber uma carta qualquer de um escritório de advogados qualquer a dizer que estes documentos são "internos" à New Way, e que foram publicados sem a devida autorização, fica já aqui uma reposta: considero de interesse público a divulgação dos mesmos uma vez que evidenciam procedimentos de recrutamento em pirâmide e que alertam potenciais interessados para o perigo de aderirem o jogo de "intermediação". Como tal, não saem do ar sem uma ordem de tribunal.

---

Acerca destes documentos e métodos de recrutamento, tenho várias coisas a dizer:

1 - Não me parece que a actividade da New Way se enquadre na definição de Marketing Multinível apresentado pela FeDSA e pela DSA. Antes pelo contrário, parece-me que não tem nada a ver uma coisa com a outra. Basta pensar que os membros/sócios da New Way não têm um negócio próprio, e não vendem nada a terceiros - nem sequer têm nenhum produto ou serviço disponível para o fazer... O que fazem é atrair pessoas para que a New Way lhes possa vender os seus descontos e vantagens.

Para mais, porque será que a New Way não está incrita no Instituto Português de Venda Directa (e que corresponde, grosso modo, à subsidiária portuguesa da FeDSA)?

2 - Parece-me que a New Way se encontra em violação flagrante dos dois Decretos-Lei portugueses que regulamentam as "vendas ao domicílio" e as "prácticas comerciais leais", embora se tente colocar a salvo do seu âmbito ao inscrever os seus sócios como "intermediários", ao abrigo de um contrato que não é de "consumo", por assim dizer. Chama-se a isto contornar a lei. De facto, cada sócio da New Way que recrute outros sócios, ganha dinheiro com o acto, obtendo um efeito de desconto (indirecto) na sua própria inscrição (violação do Decreto-lei 143/2001). E de facto, uma vez que as contribuições dos sócios da New Way se resumem unica e exlcusivamente a convencer amigos e conhecidos a comparecerem numa apresentação da empresa (sem lhes dizerem ao que vão), e que daí podem resultar contrapartidas de recrutamento, estão a promover um esquema em pirâmide (Decreto-lei 57/2008). Tudo isto organizado pela New Way.

3 - No caso de existirem de facto dois contratos feitos com os sócios, parece-me que o de "intermediação" é apenas um pretexto para: a) esconder o óbvio (que há um esquema em pirâmide a trabalhar como pano de fundo) e b) justificar a cobrança de uma verba não reembolsável (por conta de uma suposta formação, que valerá 500€ +IVA). Basta pensar que nenhum sócio necessita de ter esse contrato para poder receber comissões da New Way - apenas tem de se registar como trabalhador independente e fazer de "comissionista". É um contrato que é uma farsa.

4 - Quando é referido, nos documentos "internos" acima apresentados, que "O segredo é a alma do negócio", parece-me que a New Way está usar indevidamente um dito social corrente. Tal dito aplica-se, por exemplo, quando há uma fórmula secreta para o fabrico de determinado produto, ou quando há uma inovação tecnológica que permita a uma empresa conseguir vantagens competitivas em relação à concorrência. NUNCA quando é para esconder o nome e o propósito de determinada firma, apenas por algumas horas ou dias, até que seja feita uma tentativa de recrutamento com ajuda de factores psicológicos externos. Tal prática parece-me ser, com dizia alguém, moralmente censurável. No mínimo.

5 - O último documento acima reproduzido representa o que de mais reles e disforme existe no mundo comercial actual. Divulgar secretamente os dados particulares de pessoas que conhecemos a uma empresa (seja ela qual for) , incluindo a sua situação económica, é um acto de traição e de rebaixamento sem parelelo. Se um amigo seu lhe fizesse isso pelas costas, sem lhe perguntar nada, como se sentiria?

9 comentários:

Quase vítima disse...

Desde já parabens pelo Blog:
Os da New Way caem tanto no ridículo k não há palavras para descrever tanta "escorregadela"! Vejam, afirmam nada ter com o aviso da Pj: "AVISO FEITO PELA PJ A POPULAÇÂO Burlas em Pirâmide 2007/02/01 No âmbito de funções de prevenção criminal que legalmente estão atribuídas à Policia Judiciária, compete-lhe alertar os cidadãos para práticas criminais detectadas e que no presente caso se enquadram da seguinte forma: Grupos de indivíduos, a coberto de vários tipos de EMPRESAS !! levam a cabo reuniões, especialmente em HOTEIS por todo o pais, tentando angariar cidadãos que invistam quantias que rondam os 2.000 €, com a promessa de receberem ganhos astronómicos em relação ao dinheiro investido, bastando para tal angariarem outros cidadãos que invistam igual quantia. Na altura da entrega do dinheiro, levam o investidor a assinar um contrato, avisando que o valor entregue não é reembolsável e que a empresa cobrará uma comissão sobre todas as entregas e recebimentos. A empresa avisa ainda que o subscritor deverá ter consciência que pode ser o último da cadeia e como tal não recuperar o capital investido. As empresas até agora identificadas apresentam actividade distinta do seu objecto social. Desde já alertamos para a ilegalidade desta actividade, quer na perspectiva dos angariadores, quer na perspectiva dos depositantes. 01 de Fevereiro de 2007"

A resposta a isto foi:

"óh atrasado mental , isso são as "bolas" , "bolhas" que foi noticiado há dias na Sic... nós estamos no estádio do dragão,basta ver em www.newway-elite.com"

Mas são tão ignorantes k manda-nos ver a página deles e afirmam k estão no dragão mas esquecem de retirar da pagina principal! Como diz o Fui Parvo no forum queixas, ESTAVAM SIM EM HOTEIS E SÃO TAL E QUAL O K A PJ ALERTA! Basta clicar no link www.newway-elite.com k acredito ter sido o Manda Chuva da New Way mandar, depois de entrar clicar em EMPRESA e depois CONTACTOS! tá lá os hoteis k o palermita tristes nega! AHAHAHAHA Já fiz Print Screen disso pk de certeza k vão retirar! Vejam lá:

http://www.newway-elite.com/aempresa.html

Comprovem o k digo:

2008-08-04 14:08:16

http://www.queixas.co.pt/forum/topico.php?id_forum=1&id_topico=739

A.F. disse...

A New Way Elite Club não passa de um grupo de tesos armados em ricos que se aproveitam dos outros para se sustentarem! Consegue, isso à custa de mentiras, ofertas fantasiosas e promessas de grandes ganhos! Todos os que entrevistam, caem no ridiculo de dizer que graças à New Way já vão comprar um Mercedes, outros dizem Porches etc! A mim calhou uma brasileira bem bronca! Tem tudo estudadinho para enganar os mais cretes ou para conhecerem outros aldrabões que alinhem ganhar dinheiro sem olhar à moral. Parabens pelo Blog Sr Pedro

Pedro Menard disse...

Boa noite,

Agradeço do coração os dois comentários acima feitos, mas deixo-vos um pedido de sensibilisação em relação a futuras participações neste espaço: por favor moderem a forma como se dirigem à New Way em geral e aos seus colaboradores.

Tal como disse na mensagem inicial, não pretendo ver o blog transformado num local de livre arremesso de insultos e injúrias, que, desprovidos de suportes de prova, se tornam alvos fáceis de processos na justiça.

Agradeço a consideração.

--------------

Quase Vítima: realmente o alerta da P.J. mostra quase um fac-simile da actividade da New Way, não haja dúvida.

A.F.: Sim, eu também acredito que a New Way tem o processo todo muito bem estudado para levar as pessoas a assinar o contrato sem suspeitar que podem estar a cair numa armadilha. Só a ideia de um "contrato de intermediação" com uma cláusula de não devolução de 500€ dá-me logo a volta ao estômago. É um golpe muito baixo, para além de poder estar ilegal - é uma coisa que ainda vou investigar a fundo, não duvide.

Cumprimentos.

a.f. disse...

Tem toda a razão mas torna-se quase impossivel não lhes chamar nada visto serem pessoas da pior espécie! Mas tem razão!

Anónimo disse...

O meu muito obrigado a todos vós!
Uma destas sextas-feiras passadas recebo um telefonema de um amigo, a convidar para algo que ele próprio não conseguia explicar muito bem, que se podia ganhar muito dinheiro, blá, blá... Disse-lhe logo que não era assunto para ser discutido por telefone, e convidei-o a minha casa para desenvolver-mos a conversa de outra forma. Começou com um discurso muito pouco ortodoxo, pouco claro, pouco objectivo, realçando as vantagens do suposto negócio, sem nunca responder directamente às minhas perguntas!
Passado bastante tempo sem saber coisa nenhuma, apesar do facto de me ter de deslocar ao Dragão como seu convidado e com "indumentária" de gala, o que desde logo me deixou um pouco inquieto, sabendo também que iria a um jantar, jantar esse que recusei a oferta de ser pago por ele, disse-lhe que só iria, porque sendo ele meu amigo, lhe daria o benefício da dúvida, já que ele não falou coisa nenhuma em relação ao negócio ou à referida empresa!
Nessa mesma noite, muito desconfiado que estava, já que tinha em mente e ouvido falar em vendas directas de produtos de beleza, cosméticos, colchões, etc. e esse não era um desses negócios, fiz uma pesquisa na Internet e qual não é o meu espanto, que encontro um rol infindável de queixas e de relatos de pessoas que se sentem defraudadas! Escusado será dizer que na manhã do dia seguinte, liguei ao meu "amigo" e lhe disse que não iria e perguntei-lhe como ele pôde cair em tal "marosca"! O coitado lá me explicou que eu estava a ver mal as coisas blá, blá...
Fico-vos grato por me terem poupado a gastar 40,00 euros num jantar banal, de ter ouvido meia dúzia de pessoas que, a julgar pelos videos que um tal tristes publica no fórum queixas, nem falar sabem, e dessa forma obrigar esse tristes, que é de facto um triste, a conseguirem uma profissão digna ou outro tipo de actividade que produza riqueza, mas de forma inteligente e honesta.
Continuem o bom trabalho, se puder irem poupar a alguns conhecidos a boa maquia de 3000,00 euros.
Um bem haja a todos.

Cuaze disse...

Gostava que me informassem sobre a legalidade dos contratos assinados na New Way. Nomeadamente, no caso de não ter pago a totalidade do valor, que situação se fica? Se legalmente têm de pagar o restante ou se simplemente ignora a situação porque o contracto não tem validade juridica? Mais ainda, não foi entregue qualquer copia do documento pelo que não sabemos como nos defender duma situação destas. Agradeço comentraro a quem puder ajudar. Obrigado.

Mude. Pense diferente! disse...

Cumprimento-o pela qualidade do conteúdo do seu blog. É esclarecedor, procura demonstrar isenção e dununcia o que deve ser denunciado, no caso "os esquemas de pirâmide".
Gostaria de me manter atento e por dentro de todas as suas publicações.

Atentamente

Leonardo Alves
htp://www.youtube.com/pelotense5

Anónimo disse...

Só hoje consultei este blog para ler o que se escreve sobre marketing de rede e fiquei surpresa com a forma convicta com que tentam, aqui, demover uma empresa em específico. Poderiam pensar "ok, esta já faz parte dos burlões e vem para aqui defendê-los". Pois bem, não faço mas conheço o conceito e percebo o que se passa. Acho estranho ter-se argumentado tanto, recorrendo a legislação e fundamentos muito bem organizados mas, à partida, parece-me que desistiram, dado que a argumentação nos remete para o ano 2008. Pois bem, a New Way e outras empresas continuam a existir, continuam a dar milhares de euros ao estado, uma vez que este retém 20% das receitas. Será assim tão ilegal? será assim tão perigoso, ao ponto do estado se dar ao luxo de receber dinheiro sujo como vocês aqui referem?
Penso que o importante na vida é cada um fazer as suas escolhas, cada um dar uma oportunidade a si próprio de mudar a vida, mesmo que isso implique fazer um negócio em rede ou em pirâmide ou como lhe queiram chamar... A questão é, se não gostaram do negócio, porque gastam as vossas energias em pesquisas exaustivas e em insultos? Conhecendo bem a sociedade portuguesa, na sua grande maioria nao se preocupa em alertar os outros para os perigos das burlas... Mas sim em sentir um pouco de inveja pelo vizinho do lado ter corrido o risco e eu não. Será o vosso problema a New Way? ou será, por outro lado, a felicidade dos outros que vos incomoda? Porque penso que este tipo de negócios, embora não o pratique conheço MUITA gente que o faz, é feito para adultos e para tal, têm poder de decisão e discernimento. POrtanto, só entra quem quer, os papéis estão lá, as condições são apresentadas, os valores também. Onde está a burla? A burla acontece na casa dos idosos quando os ladróes se fazem passar por bancários, a título de exemplo.
Já vi pessoas bastante conceituadas falarem bem da New Way, pelos frutos que trouxe na vida das pessoas.
Não deveriamos nós concentrar as nossas energias naquilo que queremos para nós? deixemos os outros decidir por eles, deixemos que procurem a legislação, que façam o seu próprio juízo das coisas, paremos de falar mal por falar, ou por querer influenciar os outros a não aderir, só porque nós nao tivemos coragem de fazê-lo!
Somos adultos, se pensarmos e agirmos como tal, ficaremos um povo menos mesquinho e muito mas muito mais responsável e culto.
Uma opinião, vale o que vale...

Rodrigo disse...

Cuaze, se vires bem a cópia docontrato está dentro do Kit que levantas-te junto do teu gestor. Se não foste levantar o kit, o contrato está lá á tua espera.
Cumprimentos
Rodrigo Cruz